terça-feira, 21 de setembro de 2010

Encontro de si mesma

Venho através desta escrever minha história que começa a muito tempo atrás, quando tinha por mim que gostava de homens e criei uma história em que casaria com um lindo homem e teria um casal de filhos...

Mas, espera aí, não , não começa assim.... Eu amava dançar! Ainda amo..e tudo que queria quando ia nas festas era me divertir , enquanto minhas amigas queriam era ficar, beijar e beijar e se possivel outras coisas.

Tinha eu 13, 14 e 15 anos. Bem, esqueci de dizer que aos 10 recebi minha primeira cantada de duas homossexuais, numa época em que naõ sabia o que era e o por que daquilo, mas, chegando em casa, disse a minha irmã mais velha e ela logo explicou o que era. Bem, não fiquei preocupada e nem dei muita atenção.

Os anos foram passando e recebi outras cantadas, mas era de uma família grande, com dificuldades relacionais. Sou a décima segunda filha de um casal qeu vivia em grandes conflitos e com duas irmãs esquizofrênicas.

Vivi grande parte da minha vida visitando minhas duas irmãs em casa de saúde mental,com irmãos sempre bringando e além do mais acima de mim tinha três homens. Eu brincava de soltar pipa, carrinho de rolimã, gostava de bonecas,mas era uma moleca! Aventureira e amava dançar, desde pequena. Fiz dança por 6 anos e praticava vários esportes.Amava basquete e futebol, nadar também!

Bem, até então esse assunto ou gostar de mulheres não era vivido na prática ou oralmente, era como se isso não fizesse diferença. A questão era: enquanto minhas amigas de 13 a 16 anos amavam ver revistas com homens nus e gostavam de ver o falo deles eu achava horrivel  como acho até hoje,rsrs, sem preconceito.

Achava o falo agressivo e nada sensual. Bem, eu não paquerava, apesar de achar muitos homens lindos e ter muita atração por homens de cor, era  o meu fraco! Já adulta com 20 entre 27 anos sozinha, sempre sozinha e virgem...não me apaixonava por ninguem e ninguém se apaixonava por mim e olha que interessante: me apaixonei uma vez pelo meu diretor da companhia de teatro o qual fiz parte por 15 anos.

Eu tinha uns 26 anos e ele uma leve tendência a ser gay (todos acham até hoje, não se sabe se é, pois não declara). Fui beijada por um amigo em um baile , lindo de morrer, cobiçado por todas, e quando descobri, ele estava fazendo ciúmes no namorado, uaua! E tive um affair com um homem e a química era louca, de cor ele, bem queria muito transar, pois ainda era virgem,mas ele apesar de gostar correu muito! Hoje sei que ele é bissexual.

Relato isso pra ver como isso sempre esteve aí presente, ou seja, talvez os homens  os gays me atraiam, por ser o oposto contrário, rsrs, engraçado. E  no meio disso tudo sempre gostei de olhar para os decotes das mulheres, onde via os seios , mas virava os olhos e tentava me enganar dizendo: O que isso, Cátia? 


Nunca abri isso pra mim, ou seja, nunca me dei o direito de pensar nisso, sempre amei e gostei muito de amigos gays, sempre me dei bem, nunca fui preconceituosa, tenho um sobrinho que é, filho da minha irmã mais velha. Que hoje e´ a única no momento que sabe da minha identidade, da familia e os filhos dela.

Hoje com 40 anos é que vivi a grande mudança da minha vida e sou muito feliz! Tudo aconteceu assim: essa minha irmã mais velha mora no Rio e é manicure. Possui uma cliente de nome Cristina, que é enfermeira obstreta, mestra em assunto de mulheres, professora de duas pós, mãe de duas adolescentes e casada com um homem, ah, e tem uma amante! Isso..bem essa mulher e eu nós conhecemos na casa da minha irmã, citada, e ela nos apresentou, por que sou terapeuta corporal, massoterapeuta e terapeuta naturalista, pois bem ela sofreu um acidente que afetou a coluna ai minha irma disse que eu poderia ajudar.

Conversamos muito e nos despedimos. De volta a BH em outros momentos conversando com minha irmã ao telefone ela quis conversar comigo, pois estava na minha irmã fazendo unha. Achei aquilo estranho pois não tínhamos intimidade. Minha irmã falava que ela queria ver fotos minhas e tal. Numa ocasião lhe falei que poderia atendê-la estando no Rio e poderia lhe fazer uma massoterapia.

Então no mês de outubro do ano de 2009 estava no Rio e fui a sua casa para atende-la, chegando lá a maca estava pronta e ela já ia deitando quando disse que no meu trabalho eu fazia uma triagem, visto que era um tratamento, não uma massgem. Aí ela sentou e conversamos. No meio da conversa confessou seu caso com outra mulher e dizia, pois a mesma é casada com um pastor e são todos evangélicos, que iria para o inferno com aquela prática homossexual, mas que amava a outra a sua amante e pronto! 

Perguntou se eu achava errado, fui logo dizendo que não e que o amor pode manifestar de várias formas e que o que importava era a felicidade. Bem, eu a atendi  e ela, me levando para a casa da minha irmã, me perguntou se tinha namorado ou namorada e eu disse que não e ela foi logo dizendo: "Mas por que está sozinha, posso falar? Eu disse que sim. "Voce é muito linda, gostosa pacas, inteligente , formosa.." e eu ali ouvindo aquilo e espera aí ...adorando, adorando, era uma cantada e eu nem liguei se era uma mulher eu apenas gostei. 

Ela parou o carro e me perguntou se foi indelicada, eu disse que não e que cantada é uma cantada e pronto! Nos despedimos e entrei na casa da minha irmã. Sempre falo que isso foi um marco, estava tão feliz, tão feliz, parecia que tinha ganhado na loteria!

Na verdade, vejo assim , aquele dia foi o dia da libertação! Fui embora e aquela mulher tomou conta de mim, do meu corpo, dos meus sonhos, dos meus desejos, do meu coração e da minha respiração, queria tê-la e muito.

Começou então o meu calvário,rsrsr. Ligações, emails e dizendo que queria vê-la. Em dezembro fui a um congresso no Rio e numa oportunidade, dia muito chuvoso, ela me levou para jantar. Conversamos muito, rimos, bebemos vinho e chegou a hora de partir. A familia a esperava em casa. Entramos no seu carro, ela  deixou os vidros fechados e abaixou aquele apretrecho do carro que cobre sua visão quando há muito sol. Estávamos em um lugar do estacionamento bem coberto. Tinha lhe trazido um presente, o primeiro de longos que se sucederam. Sou eterna romântica e adoro presentear. Aí ela estava curiosa, quando dei ela amou e ficou sem palavras, e logo em seguida veio agradecer e quando vi estava sobre minha boca a beijar-me como nunca fui beijada. 

Fiquei sem fôlego e retribuí, retribuí. Ela abriu a minha blusa e beijou os meus seios, chupou-os, me beijou novamente e eu não queria parar nunca mais aquele momento, mas a vida lhe chamava, a vida de mentiras e mentiras.

Depois disso a tentação foi maior e a paixão me enlouquecia e me enlouqueçeu ate durar, foi até maio desse ano, quando vi que sua vida vai ser sempre essa mentira: o marido, as filhas , o trabalho e a amante. 

E eu quero ser livre, na minha descoberta, no que penso e no que quero . Quero amar outra mulher com tudo que posso e desejo para me fazer feliz e a ela. 

Hoje estou gostando de outra mulher, mas essa é outra história.

Resumindo, sou mais realizada hoje, consegui reiniciar minha vida de escritora, pois sou poetisa desde os 13 anos, escrevo em dois sites. Devem conhecer o Uma combinação perfeita: sou colunista nele e no arte cultura, e tudo isso aconteceu depois da revelação de mim mesma.

Para encerrar: ela me disse um dia: "Baguncei sua vida, né?", pois ela não deu conta de ficar comigo, e eu lhe disse : "Jamais ! Você me apresentou pro mundo de mim mesma e sempre vou agradecê-la!"

Como digo em um dos meus post no combinaçao: Amar o parceiro ou a parceira do mesmo sexo é amar aquela alma que ali reside, é sentir atração por aquela pele, por aquele gosto, por aquela voz, por aquele sorriso, é amar, sem diferenças, é gostar sem preconceito, é correr pelo campo e rolar na grama, é teclar sentindo, chorando, sorrindo, e reencontrar após longo tempo de distancia, é lembrar dos melhores e também ruins momentos.    

Se quiser ver o texto todo:  http://umacombinacaoperfeita.com.br/?p=503

Cátia Aguiar

2 comentários:

Aninha aruen disse...

eu tbm me apaixonei por um gay...hj em dia ele é meu melhor amigo...
adorei a sua história,muito bonita! bjs

Anônimo disse...

Adorei.. Mt legal a história!