terça-feira, 21 de setembro de 2010

Da dor nasce a Poesia

Em primeiro lugar, gostaria de parabenizar a querida Helena pela criação deste blog e pela oportunidade que nos dá! Helena, um grande beijo do fundo da minha alma.

Em segundo lugar,  resolvi contar minha história para vocês.

Olá, me chamo Márcia, tenho 39 anos, nasci homossexual e na inocência dos meus 5 anos meu universo emocional já era direcionado para uma pessoa do mesmo sexo.

Mas até os 14 anos tudo ficou meio que  adormecido, embora existisse indícios que eu só pude perceber após uma releitura de vida.

Aos 14 anos tive a certeza absoluta de quem eu era e do que eu queria quando me apaixonei pela professorinha de inglês linda e gentil, mas com a professorinha cada vez mais distante e inacessível começava aí o meu martírio.

O inferno da culpa, da não aceitação enfim vivi meu própio inferno.

Porque minha família é católica e conheci desde cedo a questão do inferno e do purgatório, do pecado que as religiões costumam impor aos fiéis. Resolvi então me fechar para o mundo e para não causar sofrimento à minha família resolvi me calar e engolir sozinha todo aquele sofrimento.

Não podia dividir com ninguém a minha dor, o sofrimento me consumia e eu morria um pouco a cada dia. Não conseguia observar a beleza do sol ao amanhecer.

Por muitas vezes enxergava o suícidio como única saída, mas eu não queria acabar com a minha VIDA, queria acabar com o sofrimento que não me deixava viver. Eu apenas sobrevivia. E foi assim por longos anos. 25 anos se passaram desde a minha descoberta, a minha certeza, a minha maior verdade.

Sou LÉSBICA da cabeça aos pés, de corpo, alma e coração.

Hoje graças a DEUS consegui me harmonizar comigo, estou em paz comigo mesma.


Não sinto mais culpa,nem a sensação de pecado me atormenta.
O medo do inferno também se desfez, porque aprendi que o céu ou inferno são construções que criamos dentro de nós mesmos.

O DEUS que eu conheço hoje não é o Deus imposto pela maioria das religiões que não é real e sim uma caricatura formatada por dirigentes mais interessados em arrecadar (pessoas) do que em acolher almas, almas de pessoas que sofrem e que muitas vezes são rejeitadas.

O DEUS que eu conheço é um Deus de AMOR ,um DEUS que é benevolente,que acolhe,que ama e não rejeita nenhum de seus filhos.

Minha família continua não sabendo da minha verdade mas isso não é fundamental, talvez um dia eu conto se julgar necessário.

Hoje continuo sozinha,embora me sinta preparada para amar e ser amada por uma mulher, infelizmente nunca tive uma em meus braços.

E eu sempre pensei: "Meu Deus eu não quero morrer sem viver a grandiosidade que é amar uma mulher ainda que seja uma única vez..."

Os homens nunca me interessaram. Para mim, me desculpem a franqueza, sempre foram meros objetos de decoração, como uma uma cadeira, por exemplo. Nunca consegui sentir nada por eles.

Por tantas vezes quis mudar, não queria ser diferente. Me sentia como um cachorrinho que não sabia latir, tentava latir e não conseguia apenas miava. Então, por medo de ser descoberto e incompreendido resolveu se calar e se tornar mudo.
Mas agora eu sei que esse cachorrinho pode miar sim, sempre que tiver vontade, não precisa se calar para o mundo e pode sim, sonhar e buscar a sua felicidade ao lado de um cachorrinho que também saiba miar.
Porque o diferente,com AMOR e com Respeito  não precisa ser estranho, pode ser lindo e de uma beleza imensurável.

Dizem que uma coisa sempre compensa outra e paralela a minha descoberta da homossexualidade eu descobri o fascinante mundo da POESIA e navegar por esse universo é maravilhoso! Tenho a sensibilidade bastante aguçada,  o que me permite brincar com as palavras e fazer de um momento de dor (por exemplo) nascer uma bela poesia.

Um grande beijo e desculpe ter escrito tanto

Colibri

6 comentários:

Bárbara disse...

O DEUS que eu conheço é um Deus de AMOR ,um DEUS que é benevolente,que acolhe,que ama e não rejeita nenhum de seus filhos.


Linda historia de vida, e lindo trecho escrito do fundo da alma..

DEUS é DEUS DE AMOR apenas, e nos ama de uma maneira LINDA, carinhosa, e SABE QUEM NOS SOMOS..so ele pode nos julgar..


Felicidades à vc, e desejo que um dia possa encontrar alguem que te ame e te valorize de verdade, como uma mulher grandiosa vitoriosa que é.

Thaís de Oliveira disse...

Adorei sua história, principalmente a descoberta de si mesma e de Deus.
Se puder me adiciona para trocarmos figurinhas, também amo poesia.
thaisovp@hotmail.com

Luciana disse...

Nossa!! Sua história se parece muito com a minha!! Tenho 38 anos, e só me descobrí lésbica à pouco mais de um ano, ainda estou na fase da auto-aceitação e não está sendo fácil. Também nunca estive com uma mulher antes, mas acredito e espero um dia encontrar uma pessoa legal. Desejo que vc também encontre a sua Alma gemea logo e que sejas muito feliz!Bjos

Nina LF disse...

Colibri.... um passaro quer sempre ser livre.... E vc conquistou uma liberdade e esta inteira. Portanto, pronta para encontrar outra pessoa inteira. Gosto de sua maturidade.... como fazemos para trocar ideias??? Bjs

Nina LF

colibri disse...

nina
se puder deixe seu e-mail que entrarei em contato contigo.Será um imenso prazer falar contigo....beijos.colibri.

Inara disse...

É preciso ter alcançado um grau de maturidade, confiança e beleza para transformar a sua história. Tudo foi colocado de uma forma tão delicada que temos até medo de quebrar com um suspiro que seja, e olha que foram muitos lendo sua história. É bom saber que existem pessoas com um coração admirável.