quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Escolhi ser feliz

Meu nome é Fatima, tenho 19 anos, e por mais que a idade seja pouca,já vivi momentos em que travei batalhas entre o CÉU e INFERNO, entre DEUS e os HOMENS, entre a RAZÃO e meu CORAÇÃO...coração esse que desde bem cedo sempre quis apenas AMAR, AMAR, e ser AMADA.

Tudo começou a dar vazão quando eu ainda tinha 13 anos, uma pequena menina, cheia de SONHOS, FÉ, RELIGÃO, AMIGOS, FAMÍLIA..  mas algo dentro de mim era diferente, eu buscava algo que não sabia dar nome, nem sobrenome, e muito menos entendia o que eu tanto procurava..

Até que conheci uma menina. Foi diferente desde da primeira vez que nos vimos, eu com 13 anos, ela com 14, e nos tornamos muito amigas. Foi algo muito forte, com muito ciúmes, posse. Aquele tipo de "amiga" que eu morria de saudades e meu coraçao doía de ver ela conversar com meninos, falar de meninos...e foi passando o tempo, a amziade foi ficando forte, e na festa dela de 15 anos ela ofereceu o primeiro pedaço de bolo pra mim, e aquele pra mim foi ir ao céu ...e  ao me despedir dela meio que sem querer rolou um selinho.. aquele tão breve selinho não saiu da minha cabeça a noite toda.

Pensei o que poderia ter sido,como..e foi..pensamentos voando e rodando meu ser.  Na segunda- feira quando nos vimos na escola, resolvemos conversar pela primeira vez de NÓS. E ali começou a grande confusão interior do meu coração; eu pensava "Eu a amo? O que é isso? Ah não, é só amizade, eu já fiquei com meninos.. ela é só amiga.." E sem deixar qualquer outra dúvida surgir no meu ser, a amizade continuou e me limitei de pensar qualquer outra coisa a respeito.

Porém passados 15 dias ela foi em casa numa tarde depois da aula e, conversando, pegou na minha mão, e olhou em meus olhos e ACONTECEU, ela me beijou..foi a sensação mais forte que eu havia vivido. O mundo ali era eu e aquele beijo.

É, mas o pior aconteceu quando ela foi embora.. me fechei em meu quarto e só vi escuridão.. foi como o céu que há pouco eu tive numa vazão de emoção, caia agora na minha cabeça parte por parte me questionando como eu poderia ter feito aquilo comigo..

Eu, que sempre desde menina era tão religiosa, como poderia beijar uma menina? Não, nãooo. DEUS não ia mais me amar, Ele ia me condenar, eu ia pro  inferno...  Foi APENAS isso e tudo de pior que invadiu o meu peito , e repulsei pra bem longe ela e  meus sentimentos ..

No dia que se seguiu, xinguei-a, falei que não queria mais, que eu não podia fazer isso com a minha vida, e ela desesperada vindo atrás, até se cansar. Então foi seguir a vida dela. Um mês depois acabou o ano letivo.

Ela ia pra outra escola porque iria iniciar o Colegial e eu ia terminar o Ensino Médio. Isso foi um VERDADEIRO ALÍVIO. Um ano longe, pensei que ia me  fazer bem, fugir fugir, e ia esquecer..

Tantas e tantas vezes ajoelhada implorava a Deus que a esquecesse, mas JAMAIS tive coragem de olhar pra Ele e falar sobre ela, só pedia que Ele me afastasse desse pecado. E isso me corroeu por dentro, fui atrás de beijar meninos e mais meninos para afirmar que eu não gostava de meninas.. que eu já havia esquecido-a. Eu era sozinha, não podia contar pras minhas amigas porque na época eram muito crianças e talvez não entenderiam...

Nesse um ano me afastei muito de DEUS, da vida verdadeira que havia em mim. Mas ao entrar pro Colegial, eu a reecontrei nessa nova escola, e aquele sentimento reprimido em mim novamente explodiu. Veio a saudade, a vontade de abraçá-la. Pensei: "Nossa, de nada adiantou,eu gosto dela ainda.."  E nos reaproximamos. Ela ainda muito machucada com o meu sumiço,com o meu desprezo, mas fomos conversando, falando de nós..e nessa epoca conheci pela primeira vez muitas outras meninas que gostavam de meninas, e tudo foi se esclarecendo na minha cabeça.. E novamente eu e ela nos beijamos... foi especial, porém novamente quis sumir, pois dentro de  mim ainda algo não estava certo, eu não me aceitava, como então iria aceitar ficar com uma menina?

E me distanciei dela, só a via de longe..nesse meio tempo de 6 meses eu comecei a frequentar um Grupo de Oração, que, sim, me fez muito bem em alguns aspectos da minha vida, mas também me reprimiu ainda mais porque lá tinha libertação contra homossexuais e aquilo me matava por dentro me fazendo ter mais certeza ainda que era pecado.

Lá conheci um menino, e ele foi um anjo pra mim..começamos a namorar, ele se apaixonou muito por mim, mas e EU? Logo vinha na minha cabeça .. "Eu não consigo amar ele, ajuda eu gostar dele DEUS...".  Namoramos um ano e um mês e nesse tempo numa de nossas separações fiquei novamente com ela, e decidi então contar a minha mãe, assumir, e namorar quem eu gostava de verdade..

Numa manhã resolvi escrever uma carta contando tudo a  minha mãe. Com medo de sua reação por ela ser muito religiosa, escrevi a carta dei a ela e saí de casa pra dar uma volta.  Ao retornar em casa começou o pesadelo da minha vida ..Ela sentou comigo no meu quarto, disse que ia ajudar a me curar, que JESUS ia me curar, que eu tinha atos do demônio, mas que ela ia me curar custasse o fosse.

Nesse dia meu mundo desabou, chorei a noite inteira largada no chão, não entendia o porquê disso acontecer comigo, e essa menina por quem eu gostava ficou com medo e se afastou de mim..fiquei SOZINHA, sem rumo..e todas as vezes que minha mãe me levava à escola ela jogava na minha cara que eu era sem vergonha, do demônio..e na minha cabeça vinham os pensamentos "Eu que sou tão entregue a DEUS ouvir da minha própria mãe que eu tenho atos demoníacos? ".  Aquilo me matava por dentro dia após dia..ela jogando na minha cara,de manhã tarde e noite. Eu com 16 anos. Apenas com 16 anos me vi novamente sem rumo nenhum..

Resolvi então voltar pro refúgio do meu namorado. Liguei pra ele e pedi pra voltar e as coisas em casa se acalmaram. Mas dentro do meu coração a mágoa criada pela minha mãe, o não perdão pelas imensas ofensas, e o não poder ser eu  me matavam lentamente. Ele me fez bem, gostava de verdade de mim, mas eu talvez tenha feito muito mal à ele por não pode corresponder..e então um pouco antes de eu fazer 17 anos eu terminei com ele,  eu estava cansada de chorar sozinha no meu quarto por não conseguir amá-lo. Eu estava cansada de não poder retribuir sequer um beijo com carinho, ele não merecia, então eu o larguei e resolvi ficar SOZINHA.SOZINHA. e SOZINHA. Não iria viver nada então, apenas estudar e me dedicar ao meu esporte.

Nessa época não tinha nenhuma relação com a minha mãe, a não ser o essencial, pois não conseguia abraçar, tratar normal a minha mãe que tanto me crucificava e me julgava doente. Passaram 3 meses que havia terminado com ele e minha mãe ainda jogava coisas na minha cara, mas eu sempre negava, com ela NÃO TINHA CONVERSA, eram gritos e mais gritos.. e no dia 1º de janeiro de 2008, eu estava voltando pra casa e vi novamente a menina de que tanto gostava. Levei ela embora, e ao nos despedir, demos um beijo, nosso ÚLTIMO BEIJO..pois ali foi como um perdão, perdão dela pra mim porque a fiz sofrer tanto, perdão meu pra ela por ter me abandonado quando mais precisei, e a minha libertação..

Cheguei em casa e disse pra mim mesma no espelho e pela primeira vez pra JESUS:

"Eu não gosto mais dela, passou. Ela me fez ser quem eu sou hoje, sempre será especial à mim, mas eu vou ser feliz daqui em diante , seja como, com quem for, EU SEREI FELIZ, e vou enfrentar o mundo pra isso. Eu te amo JESUS e sei que o SENHOR me ama como eu sou, independente das minhas relações, erros e pecados. O SENHOR ME AMA, é AMOR, e eu vou seguir em frente para viver O SEU AMOR NA MINHA VIDA, seja qual for."   

E finalmente me libertei.

Comecei a falar pra JESUS de mim, das minhas paqueras, dos meus medos e dias e noites passei ao lado Dele conversando e Ele me dizendo quais caminhos seguir...

No meu último ano de colegial, conheci uma menina moleca, que me encantou e eu me apaixonei de uma maneira avassaladora, e nos tornamos amigas e depois de um tempo contei que era apaixonada por ela, e ela muito confusa foi conversando comigo, até que ela se rendeu ao que sentia  e começamos a namorar... Como eu disse foi uma paixão dessas que chega e dura o tempo exato pra nos construir e destruir.

Me entreguei a ela de coração mas como eu disse ela era moleca, menininha de tudo apesar de ter a mesma idade que eu. Ela não soube lidar com a pressão da mãe que comeceu a desconfiar, e dois dias depois de eu fazer 18 anos ela simplesmente sem nenhuma explicação me deixou. Me deixou com todos os planos e sonhos que havíamos feito.

E eu que estava lutando e pela primeira vez querendo e enfrentando para que desse certo, me vi sozinha, me acabei por dentro.. E então eu resolvi contar sobre mim àquelas amigas minha que eu tinha receio, já eram amigas minha há 8, 9 anos, então eu pensei: "Se são minhas verdadeiras amigas, vão me entender e me respeitar." E elas tiveram um papel muito importante, me ergueram e não me deixaram afundar de vez, me ouviram de noite, de madrugada, de manhã... Ouviram as minhas reclamações, dores, e eu me senti bem, um pouco mais forte.. e passado poucos dias, 25 pra ser exata, eu me entreguei nos braços da pessoa que hoje é o AMOR DA MINHA VIDA.

Havíamos nos conhecido numa viagem de formatura, mas nos tornamos apenas amigas, pois fui viajar namorando a outra menina. Ela sempre soube de mim e na verdade ela se apaixonou por mim lá naquela viagem, e logo que terminei meu relacionamento eu me entreguei em seus braços, muito machucada, e com o coração em pedaços...e ela totalmente sem saber o que viria na vida dela, apenas querendo me amar e me ter por perto, cuidou dia a dia do meu coração.

Enfrentamos juntas a fúria da família dela, a fúria da minha mãe.

E hoje, há um ano e 7 meses ao seu lado, eu sei o que é o verdadeiro amor. Sei que o AMOR enfrenta e supera dores e mais dores, separações, distância, saudades, injustiças, preconceitos..e que Deus nos ama de uma maneira linda. E se não fosse Ele e sua fiel justiça hoje não seriamos tão felizes como somos, JUNTAS, em nome do amor que não foi os homens que criou e sim DEUS.

E hoje eu SOU FELIZ e agradeço a DEUS por todas as dores que eu passei. Hoje em dia vivo em paz COMIGO, com a minha menina, com a minha mãe e a família dela.


Foi difícil, mas quem disse que viver de verdade é fácil? Prefiro ser feliz com a minha menina linda do que viver trancada dentro de mim mesma sem saber o que é VIVER e SER FELIZ.

Essa música retrata o meu amor por ela, e que seja eterno até quando DEUS me permitir fazê-la feliz.

"A vida tem um sabor diferente
Desde quando a gente se encontrou
Quanta espera e esperança! Dores, distância
Não impediram nosso amor
Nosso encontro no olhar,
Nosso encontro no falar,
Em cada oração.
Acredito nesse amor!
Somos bênçãos do Senhor
e a cada dia mais é verdadeiro nosso amor. "


* Fátima, interior de SP.

6 comentários:

Kle_z disse...

Que linda a história, acho que quem ama de verdade, enfrenta tudo e todos.
Parabéns.

clarice disse...

linda história [2]!!
Parabéns pelo blog :)

spawn disse...

ah religião...
atrapalhando a vida das pessoas desde tempos imemoriais..

Bel disse...

Que história linda!
Eu também confio que Deus está do lado de todos aqueles que AMAM de VERDADE, independente do sexo de cada um, essa coisa tão mundana.
Eu também achei o amor da minha vida, sou extremamente feliz, e me sinto completamente abençoada e recompensada por isso...
E também passei por muitas provações, aliás ainda passo, minha história não foi nada fácil, nem da minha namorada, mas o amor é muito maior que tudo isso!
A todas e todos, só duas palavras: CORAGEM e AMOR. Porque o resto vem por acrescimo!

abraço!

Anônimo disse...

NÃO HÁ FORÇA MAIOR QUE SUPERE O AMOR, E QUEM VIVE PARA AMAR PODE EXPERIMENTAR O CÉU E A TERRA.

Anônimo disse...

NÃO HÁ FORÇA MAIOR QUE SUPERE O AMOR, E QUEM VIVE PARA AMAR PODE EXPERIMENTAR O CÉU E A TERRA.